Início » História da Diocese de Évora

História da Diocese de Évora

A Diocese de Évora é uma das mais antigas de Portugal. São muitas as histórias e lendas associadas a ela, e muitas delas super interessantes. Se gosta de saber quais as histórias por trás de monumentos e instituições, não pode perder as que temos para lhe contar aqui!

Já pensou em tudo o que estará por trás de uma das grandes dioceses de Portugal? Se o país tem séculos de história, imagine tudo o que pode estar escondido em uma das mais nobres e remotas dioceses! 

Já está morrendo de curiosidade, não é mesmo? 

Então siga connosco! Nós vamos contar tudo sobre as lendas e a história da diocese de Évora!

historia da diocese de evora

Qual a História da Diocese de Évora?

Para sabermos a história da diocese de Évora temos de começar falando da lenda que está associada a essa diocese. De acordo com a lenda, o primeiro Bispo de Évora foi São Manços. Mas de acordo com as atas do Concílio de Elvira, com data de 303 d.C, o primeiro Bispo seria D. Quinciano.

Ao longo da história, constam vários bispos lendários, sendo que muitos deles foram considerados mártires, como São Jordão e São Brissos. 

Já no século XII, em 1166, altura em que Geraldo sem Pavor reconquistou a cidade aos mouros (árabes muçulmanos), o Bispado foi reconstituído e a mesquita que estava no local foi convertida em uma Catedral: a primeira Catedral da cidade de Évora!

Entre 1160 e 1540 a diocese de Évora teve 33 Bispos. Na época, essa diocese abrangia muitos mais distritos, como Portalegre, Santarém, Évora, Beja, e uma parte de Setúbal. Na história da diocese de Évora temos, ainda, o fato de ter sido primeiro sufragânea da Diocese Primacial de Braga e, a partir de 1394, sufragânea de Lisboa. 

Papa Paulo III e a Diocese de Évora

No século XVI, a 29 de setembro de 1540, o Papa Paulo III fez da diocese uma Metrópole Eclesiástica, ou seja, passou a ser uma Arquidiocese. Essa elevação fez com que se juntassem a Évora as dioceses de Tânger e Silves, como suas sufragâneas. 

O primeiro Arcebispo da história da diocese de Évora foi o Cardeal D. Henrique, o filho do rei D. Manuel I. 

O Papa Paulo III também foi responsável por separar alguns territórios em Portugal, tanto a norte como a leste da arquidiocese. Assim, foram constituídas as dioceses de Elvas e Portalegre.

historia

Quais os limites e alterações da Diocese de Évora?

Já no século XVIII, em 1770, foi o Papa Clemente XIV que separou ainda mais a arquidiocese. Dessa vez na parte sul. Assim, foi restaurada a Diocese de Beja (Alentejo). A história da diocese de Évora ficou marcada por várias divisões e os limites da arquidiocese foram sendo modificados ao longo do tempo. 

Em 1881, a diocese de Évora recebeu o território da diocese de Elvas, que tinha sido extinta pelo Papa Leão XIII. Depois, na segunda metade do século XX, em 1975 (pós-25 de Abril, final da ditadura portuguesa), o papa Paulo VI fez alguns ajustes no território, criando a diocese de Setúbal.

Sé Catedral de Évora

A Sé Catedral de Évora é uma das mais bonitas do país, e não poderíamos falar da história da diocese de Évora sem falar, também, da bela Sé Catedral. 

Esta recebeu a dignidade de Basílica menor e desde o século XVI que estiveram na frente da Catedral 28 Arcebispos. 

Atualmente, a arquidiocese de Évora tem as dioceses do Algarve e de Beja como suas sufragâneas e está dividida em 9 vigararias, ou arciprestados. 

Gostou de saber um pouco mais sobre a história da diocese de Évora? Sem dúvida, a história de Portugal, e da Igreja Católica portuguesa, é muito rica e temos sempre muito para contar! Achou interessante? Quer saber mais sobre alguma coisa? Deixe o seu comentário!

Não deixe de visitar o Portal da Oração para encontrar a inspiração e a ajuda que tanto está buscando!

Leia também: